TOPO
Destaques Homenagem

Sueca para sempre

Mesmo com o triste comunicado de fechamento das portas do Sueca, na última segunda-feira, 11 de janeiro, o restaurante continuará vivo nos nossos corações. Com as doces lembranças dos filhoses nos dias de domingo, dos biscoitos amanteigados, da cocada de forno… E das tradições do caruru, do pernil suíno, do tambaqui ao forno, do rosbife suculento, enfim, a mesa farta da família Vergetti, lá da Fazenda de União dos Palmares, que chegou à praia da Pajuçara,  em Maceió, durante 19 anos alimentando nossos sonhos. E como a família disse, eles encerram um ciclo e, quem sabe,  outro ciclo surgirá? Vamos torcer que sim, afinal, a Sueca fez uma trajetória saborosa. Foto acima das tradições da semana santa onde o leite de coco dá o tom as comidas.

Na foto de 2016: Aleir e Jaqueline (in memoriam), José Geraldo, Geraldo, Luzirene e Vega Vegertti, a história da família no restaurante Sueca

Da Fazenda Sueca da cidade de União dos Palmares, chegavam os pescados, carneirinho, legumes, vegetais e frutas orgânicas, além do famoso pernil suíno. Ele era marinado na vinha d’alho, depois cozido e, por fim, assado. O pernil encanta só de olhar, e o bichinho era o mais amado.

Clássico do Sueca, peixe tambaqui da Fazenda de União dos Palmares

E que saudades vai deixar o Tambaqui, um dos peixes mais nobres da Amazônia,  cultivado em tanques de água doce na fazenda da família Vergetti e chegava fresquinho ao restaurante. O tambaqui ao forno teve seu reinado garantido neste ciclo de sabores alagoano e brasileiro.

Cocada de forno, uma das sobremesas mais querida da Sueca

E a cocada de forno, que conquistou o padre Fábio Melo.  A sobremesa leva coco, leite condensado, ovos e queijo parmesão, e sempre foi a beldade da casa.

Triste. Mas quando lembro do sorriso de dona Aleir ,  fico feliz, porque esta alagoana foi de um tempo onde cozinha era prenda doméstica, mas ela com a sua família transformou o dom feminino em empreendedorismo durante duas décadas para nossa felicidade.

Tradição: caruaru da Sueca Comedoria virou delivery

2020 não foi fácil, pandemia, mudanças e, para o Sueca, ao longo dos últimos anos, perdas das amadas Jaqueline, Aleir e recentemente Larissa. Como diz a música, cada um sabe a dor, e assim a família Vergetti faz uma pausa nesse mundo tão louco governado pelo Covid-19.

O que podemos dizer ao Sueca? Gratidão! E quem sabe um dia desses estaremos juntinhos saboreando as tradições da família Vergetti.

Lembranças:  Aleir e Jaqueline (falecidas) e Vega e Luzirene (lado direito)

«

»

4 comentários
  • Luiz Gustavo
    3 dias Atrás

    Que pena gostava do cardápio e ambiente desse restaurante, era frequentador com amigos ou com minha esposa. as saladas e pratos deliciosos, sobremesas e café com biscoito. boas lembranças e sucessos em novos desafios.

  • Rejane Cruz
    3 dias Atrás

    Realmente é muito triste perder um restaurante tão bom e tão tradicional. Que esse novo ciclo seja de vitórias e paz para a familia Vergetti.

  • Wilton monteiro
    3 dias Atrás

    Que pena, tudo era bom lá. Vega nunca desista . Wilton

  • Vanessa de araujo Gonçalves
    2 dias Atrás

    Sueca sempre será sinônimo dedicação e amor!

Comentários desse post

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-me no Instagram

Instagram did not return a 200.