TOPO
congelados Destaques

Miúdos à moda oriental

Quem ama miúdo de galinha, levanta mão? Eu adoro coração e fígado, mas muita gente torce a cara para moela. Isso até conhecer a preparada por Rodrigo Lima (@rodrigolima_adv), um alagoano curioso na cozinha. O bom rapaz prepara a moela tão macia que ganha textura de carne de panela. Contudo, a experiência gostosa não para por aí: ele incrementou a receita com molho shoyu, e não é que ficou gostosíssima?! A iguaria é um dos itens do Aperitius (@aperitiusmcz), nova empresa de congelados pronta para serem consumidas no doce lar, ou até para bares e restaurantes que buscam produtos com qualidade e bom custo-benefício.

Sarapatel com farinha e pimenta é um clássico do Nordeste

Além da miúdos ao shoyu, o tradicional saparatel também está na seleção do Aperitius. E para este clássico, Rodrigo se inspirou na receita de sua mãe, dona Eurides, embora adicione uns temperos a mais como segredo. Fica danado de bom e picante. Na panela vai sangue, coração, fígado, rim, cebola, pimentão, pimenta de cheiro, alho, pimenta do reino, cominho… Claro, nesse caso, a gente completa com farinha, pimenta, cerveja gelada, e vamos para o céu.

Bolinho de feijão do Aperitius

Para o bolinho de feijoada, o alagoano se inspirou nas receitas do boteco do Rio de Janeiro, porque Rodrigo, adora viajar e provar a gastronomia dos lugares. “Virei fã logo na primeira mordida com o bolinho de feijoada do “Chico e Alaíde”, contudo, tinha apresentação distinta do que faço. Depois de vários testes de recheio, fiquei com a couve refogada com calabresa. Quem come tem a sensação de frescor somado ao intenso sabor da massa de feijoada (realmente feijoada), pois a couve fica verdinha como se tivesse sido posta naquele momento”, conta o chef.

Rodrigo Lima deixou a advocacia pelas panelas

Quem é – Rodrigo Lima exerceu a profissão de advogado por dez anos, mas sempre gostou das panelas. Começou a se arriscar inspirado por sua mãe Eurides e nas viagens que fazia.  Fez um curso de boteco no Senac Alagoas e, em 2013, por hobby e brincadeira, começou a produzir, em casa, sanduíches naturais os quais eram vendidos na Barraca do Seis Horas. A iniciativa teve vida curta, mas selou o destino do rapaz.

A experiência foi tão apaixonante, que, literalmente, criou asas. Ele partiu para Portugal, deixou de lado a advocacia, e assumiu o lado chef empreendedor. Lá na Europa fez amigos, cozinhou, abriu hot dog, e até arrumou um sócio para o Aperitius, o português, Miguel Salgado. O  foco é focar nas empresas (bares, restaurantes, pousadas, hotéis, conveniências, mercadinhos, supermercados, entre outros).

Filezinho com gorgonzola do Aperitius

“O projeto será internacionalizado, pois teremos o Aperitius também em Portugal, num futuro próximo, onde pretendemos fazer a exportação e importação de produtos entre os países. Por exemplo, o bolinho de bacalhau será produzido na fábrica de Portugal e importado para cá, e seguirá a tradição portuguesa”, explicou.

Com pandemia, Rodrigo voltou para o Brasil e abriu a cozinha Aperitius em Maceió. O sonho em Portugal segue destino, e o bom é que não precisamos ser empresa para comprar, qualquer um pode ter em casa miúdo de galinha, sarapatel, bolinho de feijoada…

Moela ao shoyu combina com arroz branco ou pãozinho

Rota Aperitius (@aperitiusmcz)

Preço: de R$15,00 (12 unidades bolinhos) até R$35,00 (filezinho com gorgonzola)/ Telefone:82.99690-7423

 

«

»

Comentários desse post

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-me no Instagram

Instagram did not return a 200.