TOPO
Destaques Pastelaria

Pastel da Socorro, só pela manhã

Sempre acordo cedo. Num dia de sábado saí de casa às 6h30, sem café da manhã, para comer o pastel da Socorro, na ladeira do Jacintinho. Chegando na pequena lanchonete, uma mulher de olhos verdes, simpática e com sorriso no rosto me recebeu. Era a Socorro. “Minha princesa, você acertou meu endereço!”, disse a pernambucana de 66 anos, que começou a labutar aos 10 anos como empregada doméstica. Os pasteis foram sua redenção. E são bons, viu? Massa elástica e o recheio é farto. Comi um de carne e um de queijo coalho.

Agora, fique ligado: ela faz, em média, 30 pasteis. Então, às vezes, eles acabam antes das 8h. Não fica nenhum para contar história. Mas ela contou que tem dia que fica até o meio-dia esperando cliente.

Massa elástica e recheio farto do pastel da Socorro na ladeira do Jacintinho

Na placa no chão está escrito Cantinho do Lanche, mas o nome certo é Pontinho do Lanche. Quem fez a placa errou e Socorro não reclamou por um simples motivo: ela não sabe ler e nem escrever. Quem saboreia o pastel da Socorro não imagina a luta dessa mulher para criar seus cinco filhos com direito a educação e viver com dignidade. “Trabalhei muito em troca de comida e um cantinho para dormir”, disse.

Socorro faz os pasteis nos sabores de queijo, carne, galinha, queijo com presunto e mistão. Ela faz tudo sozinha, dos recheios a própria massa, que é a base de farinha de trigo, maisena, sal e margarina. Foi quando comecei a entender que, aos seus 66 anos, a venda dos 30 pasteis é seu porto seguro, um complemento à sua aposentadoria de um salário mínimo.

Socorro começou a trabalhar com 10 anos de idade e agora tem sua pastelaria

Sua filha Adriana, que mora com ela, ajuda nas horas vagas do trabalho. Como a pernambucana diz, agora precisa de paz para viver no doce lar que conquistou com muito suor.  Fiquei feliz em conhecer o saboroso pastel cheio de histórias. Quem chega lá ela chama de meu rei, meu amor, meu menino, minha princesa, minha linda. “Só sei tratar todo mundo com carinho”, diz Socorro.

Ao Rodrigo Cedro, gratidão pela dica

Fachada do pastel da Socorro na ladeira do Jacintinho

Rota Pastel da Socorro

Preço: R$ 5,00 (só dinheiro)

Funciona de segunda a sábado, a partir das 6h30

Avenida Coronel Paranhos,  N 8 (Já no final da ladeira, sentido bairro do Poço)/ Telefone: 82 98809-4539

«

»

10 comentários
  • rosenilda
    2 meses Atrás

    nide lins voce e uma poetisa gastronômica, parabéns por valorizar a todos da nossa terrinha

  • Denis Melo
    2 meses Atrás

    Deu vontade de ir lá provar.

  • Antônio Barbosa
    2 meses Atrás

    Sempre comemos os pastéis da D. Socorro vale a pena conferir , sabor, qualidade e muito recheio

  • JACQUELINE OMENA CALHEIROS
    2 meses Atrás

    Mais uma revelação que se não fosse a Nilde Lins nunca iríamos descobrir e saborear.

  • Alexander Silva do Nascimento
    2 meses Atrás

    Muito top os pastéis, o de carne é uma delícia

  • Rafael Nobre
    2 meses Atrás

    Querida Neide, você escreve com alma e com o coração! Parabéns por seus textos e achados.

  • Cid Carlos
    2 meses Atrás

    Meus parabéns, por mostrar e valorizar as personagens e as peculiaridades da gastronomia da Capital!

  • Luis Fernando Rocha
    2 meses Atrás

    Parabéns amiga Nide, comida boa não tem preço e sim qualidade e muito amor…

  • Luis Rocha
    2 meses Atrás

    Deixo aqui uma sugestão de pauta, o passaporte do Beto, na rua da casa Vieira do Farol… O melhor de Maceió sem nenhuma dúvida, exemplo de simplicidade e enorme qualidade…

    • Nide Lins
      2 meses Atrás
      AUTOR

      anotado, Luis, vc pode informar o horário?

Comentários desse post

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-me no Instagram

Instagram did not return a 200.