TOPO
Cozinha nordestina Destaques

Meu mundo por um cuscuz

Viajar para provar comida é meu destino.  Sendo assim, segui rumo à Pão de Açúcar, cidade do Cristo Redentor, no Sertão alagoano, para me deleitar no famoso cuscuz de arroz da Helena. A dica foi da minha sobrinha Amália, que toda vez que eu levava o quitute para ela provar, sempre me dizia: “É bom, mas o da Helena é melhor”. E, realmente, é de uma delicadeza ímpar. Coberto pelo leite de coco natural e na companhia de café, é um espetáculo e 100% artesanal.

Maria Helena Goes, 51 anos, nascida na cidade de Messias, tem dois filhos, e é diarista. Há mais de 20 anos, o cuscuz de arroz é sua renda extra. E ela aprendeu só observando uma amiga fazendo. No começo, comprou uma massa pronta, mas depois foi testando o ponto da sua própria farinha até encontrar a perfeição de textura finíssima. As primeiras fornadas de cuscuz ela fez para sua ex-patroa, Maria Tavares (falecida), depois as irmãs da igreja deram a ideia de vender cuscuz.

A farinha de arroz da Helena é bem delicada. E ela também vende

Cada cuscuz custa R$ 2,50, e com certeza não paga o trabalho bonito e artesanal da Helena. A alagoana compra o arroz na feira, coloca de molho, lava mais de uma vez, seca ao sol e passa o grão no moedor mais de uma vez até virar pó.

Com a farinha pronta, ela leva para a panela com três mini cuscuzeiras que mandou um soldador improvisar.  Deita uma fita de tecido nas cuscuzeiras e por cima a farinha misturada com o bagaço do coco, e dá lá saem suaves cuscuz de arroz cobertos pelo leite de coco natural, é uma benção.

Helena com sua cuscuzeria artesanal

Achei importantíssimo o reconhecimento do cuscuz, pelo Comitê de Patrimônio da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), como Patrimônio Imaterial da Humanidade. O pedido foi apresentado em conjunto por Argélia, Mauritânia, Marrocos e Tunísia. Bem, que podia ser o Brasil, já que o cuscuz é uma paixão nordestina.

Em Alagoas, o nosso cuscuz de arroz tem suas peculiaridades; assim, como o de Helena, tem o do Biu do Jaraguá, do Rodolfo de A Carroça, e do Luiz do Bom Parto, todos fabricam sua própria farinha de arroz e cada um confeccionou sua própria cuscuzeira. O que na minha opinião é muita história, e deve ter mais exemplo espalhados pelo Estado. Dos que citei, apenas Seu Luiz mudou-se para Caruaru (Pernambuco), deixando saudades.

A farinha de arroz é colocado em cima de uma fita para ajudar a tirar da cuscuzeria

Quem viajar até Pão de Açúcar ou até o povoado famoso da Ilha do Ferro, basta ligar para Helena e encomendar com um dia de antecedência, pois ela não tem espaço físico. É bom demais, um verdadeiro Patrimônio do Rio São Francisco.

A farinha de arroz da Helena rende ótimo cuscuz misturado com o coco ralado e molhado no leite de coco

Helena vende a farinha de arroz, que comprei e testei. Fiz assim: misturei a farinha com coco ralado, um pouco de água e sal, coloquei na cuscuzeira. Quando ficou pronto, misturei leite de coco da Sococo com um pouco de água e joguei no cuscuz já prontinho para comer. Ah, e claro que passei manteiga do Sertão.

Rota Cuscuz de arroz da Helena (Pão de Açúçar)

Telefone: 82 99637-8626/ Preço: R$ 2,50 (unidade)/ Farinha de arroz (1kg) – R$ 12,00

 

«

»

Comentários desse post

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-me no Instagram

Instagram did not return a 200.