TOPO
Destaques Viva os cânions

Caprichos do Rio São Francisco

Do jardim da caatinga vem o som do acordem do Welson tocando o clássico Asa Branca, ele se junta ao saxofonista Fagner no alto dos cânions do Rio São Francisco. A dupla da Filarmônica de Piranhas dá boas vindas ao espetáculo do pôr-do-sol na cidade de Olho D’ Água do Casado, um afago para nosso coração. É uma experiência única, é a natureza do sertão alagoano abraçando nosso corpo nos Cânions Dourados, lá pode celebrar a vida, casar-se, noivar, fazer piquenique, ou simplesmente contemplar. A proposta é da empresa alagoana, Candeeiros Ecotur  (@candeeiros_ecotur) que organiza experiências no nosso Velho Chico.

Cânions Douradas em Olho D’Água do Casado para contemplar o casamento do Sertão com Rio São Francisco. Foto divulgação

Quem comanda o Candeeiros Ecotur  é alagoana Janaina que enxergou a beleza dos cânions do Rio São Francisco para viver novas experiências, e desde 2005 virou moda fazer pedido de noivado e casamento, com direito champanhe, piquenique com a dupla de alagoanos na Filarmônica de Piranhas. “Desde menina faço trilhas pelos cânions, nasci em Pão de Açúcar, moro e trabalho em Olho D’Agua do Casado, e minha agência tem ofertas de vários passeios pela região, como Vale dos Mestres, cito tour em Piranhas, circuito ecológico no Mirante do Talhado, Rota do Cansaço, ou seja, muitos roteiros do nosso Velho Chico”, conta Janaina. Contato – Candeeiros Ecotur: (82) 98838-3509

Viva os Cânions: Sebrae, governo do Estado, prefeituras e empresários, visando fortalecer os destinos turísticos para fomentar turismo entre Alagoas e Sergipe.

Os cânions dourados é uma das vertentes do turismo em Olho D’ Água Casado no projeto Viva os Cânions em parceria com Sebrae, governo do Estado, prefeituras e empresários, visando fortalecer os destinos turísticos para fomentar o roteiro cultural, ecológico, e gastronômico entre Alagoas e Sergipe. E arrume as malas, porque na região tem mais de três mil leitos para a gente mergulhar no mundão do Velho Chico.

Cláudia, a cozinheira mais famosa do Rio São Francisco, e sua linda história de superação

Na cidade de Olho D’Água do Casado, além do Porto da Praia da Dulce (Rio São Francisco), ser ponto de embarque para pegar o barco rumo ao restaurante Ecológico Castanho, em Delmiro Gouveia, também tem o almoço na charmosa casa de Claudilucia da Silva, mais conhecida por “Cláudia”, uma alagoana que cozinhou para o povo da novela O Velho Chico. Lá, na cidade ainda tem o caldinho de mocotó. Agenda o almoço com Candeeiros Ecotur: (82) 98838-3509

Caldo de Mocotó de Olho D’ Água do Casado

Mais fotos e dicas do Viva os Cânions do Velho Chico (@canionsdovelhochico)

Amanhecer na cidade de Piranhas

Minha primeira viagem para a cidade de Piranhas faz muito tempo, lembro que na cidade tinha apenas 2 pousadas, a Lírio do Vale e a Maria Bonita. E digo, foi amor à primeira vista pela cidade, pelo casario, pelas igrejas, as histórias do povo sobre Lampião e o Rio São Francisco bordando o coração da gente. À época eu estava no jornal Gazeta de Alagoas, escrevi a matéria e ganhei o prêmio de jornalismo Banco do Brasil no segmento informação turística. Acredito que isso foi no ano de 2002. Todas as vezes que volto a essa cidade sertaneja é uma alegria imensa rever os amigos e as histórias, como dona Dione, da Lírio do Vale (@pousada.liriodovale), minha primeira pousada. Esta senhora simpática virou amiga até os dias de hoje, e sua hospedagem é tão graciosa quanto ela. Porque turismo é feito de gente bacana como Dione. Em dezembro de 2021 foram três dias de uma expedição pelos cânions do Rio São Francisco, não calculei o tempo em que ficamos navegando de barco (acho que mais de 10h), onde me joguei de coração aberto no Velho Chico, melhor terapia do mundo, nosso mar doce.

Viajei a convite do Sebrae Alagoas que, em parceria com o governo do Estado, prefeituras e empresários vai fortalecer os destinos turísticos do “Viva os cânions”.

Cidade de Pão de Açúcar com seu pôr-de-sol no Rio São Francisco

Bar do Piaba: “O rio São Francisco é tudo!”, argumenta Léo, rapaz criado dentro das águas doces, onde aprendeu a pescar, nadar, sobreviver e viver sob as bênçãos do Rio Opará, como chamavam os índios, ou Velho Chico, apelido carinhoso dado pelos ribeirinhos. Mas é no Bar do Piaba na cidade de Pão de Açúcar, que sua história ganhou um capítulo de empreendedorismo saboroso: da sua cozinha saem por semana, em média, 30 a 40 tilápias, temperadas no sal e polvilhadas na farinha da mandioca. Detalhe: chegam à mesa, inteiras e abertas com a pele bem crocante, e carne macia. Tire as espinhas e respingue gotinhas de limão para ser bem-aventurado na cidade alagoana de Pão de Açúcar. Rua Manoel Rodrigues, Tororo, 75 – Pão de Açúcar/Telefone: 82 99933-4294

Pão de Açúcar: Bar do Piaba, a melhor tilápia (inteira) frita

Torresmo de tilápia, limão e suco de limão com capim santo

Olho D’ das Flores – Toda vez que viajo rumo ao Sertão, destino Pão de Açúcar, Piranhas, Água Branca e Delmiro Gouveia, já venho pensando no torresmo de tilápia e no carneiro no bafo do restaurante Ki-Xote (@kixoterestaurante) da cidade de Olho D’ das Flores, comandado pela Cida. É bom, não, se amostra de gostosura. E André Dantas, homem cult da Ilha do Ferro (povoado de Pão de Açúcar) em parceria com a Cida abriram o espaço Salão, que une cultura, com bebidas, açaí e até brechó. Mais informações: @casaabilioilhadoferro

Barquinhos no povoado da Ilha do Ferro da cidade de Pão de Açúcar

Na Ilha do Ferro, a gente segue navegando pelo nosso rio doce, perambulando pelos ateliês dos artistas, saboreando galinha guisada com pirão da Vana, visitando o Museu da Ilha (@museuilhadoferro) … Simplesmente vivenciamos o paraíso do Alagoas Feito à Mão (@alagoasfeitaamao), que é o projeto do governo do Estado que identifica os artesãos e Cooperativa Art Ilha (@cooperativa_artilha)  do bordado Boa Noite deste povoado em Pão de Açúcar.

Na Ilha do Ferro arte casa da mestra Morena e o Museu do Seu Fernando

O Engenho São Lourenço (@engenhosaolourenco), de 1920, é um do patrimônio cultural e gastronômico da cidade, produzindo rapadura, açúcar mascavo e alfenim (doce) orgânicos. No Engenho também tem restaurante e uma das estrelas é o sorvete de rapadura. Quem faz bem o sorvete  é Silvia Medeiros, alagoana de Delmiro Gouveia, casada com Mauricio César Brandão, herdeiro do “Vó Lenço”, fundador do Engenho.  Funciona todos os dias, das 10 às 16, segunda a sexta. Sábado e domingo, das 10 às 22h. Telefone: 82 99902-9468

Água Branca: Sorvete de rapadura do Engenho São Lourenço

Mais informações: canionsdovelhochico.com.br / @canionsdovelhochico

 

 

 

 

«

»

Comentários desse post

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-me no Instagram

Instagram did not return a 200.