TOPO
Chef na Cozinha Destaques

Finalmente, Alagoas!

No livro Delícias da Cozinha Alagoana, das Irmãs Rocha, tem um registro sobre a exportação do sururu em 1918. O sururu era temperado com sal e vinagre, e o funileiro passava solda na lata. A viagem do molusco era de navio, e representava o laço de amizade entre a família dos noivos (pais das irmãs Rocha), que trocavam receitas e ingredientes entre baianos e alagoanos.

São Paulo: Nas paredes e mesa do novo restaurante Canto do Picuí tem arte dos artistas e mestre da cultura popular alagoana. Fotos arquivo do Picuí

Depois de mais de 100 anos, o sururu chega a São Paulo pelas mãos do chef Wanderson Medeiros (@picui), no seu mais novo audacioso voo, Canto do Picuí (@cantodopicui), o restaurante contemporâneo com tempero alagoano e nordestino na terra da garoa e, além da maravilhosa Luiza Trajano (Maganize Luiza) se deleitar na boa comida do chef, vários conterrâneos já deram o ar da graça por lá,  como a minha sobrinha Júlia Normande  (@julianormande) me representou lindamente na nova casa, comeu bem pra caramba e ainda rolou caipirosca de seriguela diretamente da terra de Graciliano Ramos para Sampa, o texto abaixo é dela, da minha cara metade, Julia (graças a Deus não é jornalista, é advogada), que atendendo aos meus caprichos escreveu com o coração.

Peixe sobre cama de sururu do chef Wanderson Medeiros, o famoso Picuí

Dicas por Julia Normande Lins

O Canto do Picuí tem de muito mais o que a gente tem de menos em São Paulo: não basta vir com queijo coalho, queijo manteiga, sururu, carne de sol, no cardápio. Tem o prazeroso acréscimo de usar esses ingredientes de forma criativa e saborosa.

É o cantinho do nordeste, de Alagoas, da Paraíba. Cada prato, a redescoberta de um novo elemento. Todos os ingredientes vêm para serem o que são: nada perde o sabor e a originalidade do que se propõem a ser. O Canto do Picuí enxerga Alagoas e a delicadeza desse olhar ultrapassa o cardápio –  Alagoas é refletida nas paredes, mesas, balcões, em todo o ambiente que se faz o restaurante.

Novo voo do Picui, um restaurante em São Paulo com ingredientes alagoanos. Foto Matheus Sandes

O crostini de banana da terra com queijo manteiga e mel nos leva diretamente ao Sertão, com o capricho e a singeleza que o Picui (leia-se chef Wanderson Medeiros) coloca em cada prato e que é sua identidade. É como se ali estivéssemos numa parada na estrada que liga o litoral ao sertão!

O peixe sobre a cama de sururu é outro sem igual. Sente-se o sabor do sururu como se nunca tivesse saído de seu capote. Valoriza e respeita o principal ingrediente da nossa terra. O complemento que é a farofa de castanhas e coco dá aquele toque especial que tanto vemos na nossa gastronomia alagoana.

Carne de sol com creme de queijo coalho e chips de macaxeira mandioca

Noutro prato, a costela se dissolve na boca e o musseline de raízes tem a proeza de trazer o sabor individualizado de cada uma das raízes: sente-se a mandioca, a mandioquinha e o inhame em sua inteireza. A carne de sol e o purê de queijo coalho, então, não há que se falar. A carne vem alta, macia, no ponto certo; o purê é coalho puro.

Para finalizar, a cocada de colher com sorvete de tapioca e farofa de bolacha 7 capas de Maragogi com mel de engenho nos fez embarcar de vez na viagem até o paraíso gastronômico que Alagoas nos oferece. Tudo isso acompanhado, é claro, de uma refrescante caipirinha de siriguela!

Louça do Canto do Picuí tem assinatura do mestre João de Alagoas

Trajetória do Picuí por  Nide Lins

“Joana de Dourinho” era o nome mais conhecido de Picuí, interior da Paraíba, famosa pela sua carne de sol, a glória da mesa dos nordestinos brasileiros. É de lá o princípio da saga do chef Wanderson Medeiros que, quando criança, sua melhor brincadeira era passear com o avô Dourinho na feira da cidade. Já com sua avó Joana, era esperto, ficava de butuca, olhando ela preparar bolos e doces para poder beliscar. De sua mãe dona Fátima, formosa, que faz até pasteis divinos, ele tinha a missão de ajudá-la na venda dos salgados nos pontos comerciais.

Wanderson Medeiros é chef, pé de valsa, comedor oficial de pipoca, apresentador de televisão, até já apareceu em programas de entrevistas em Portugal e, enfim, virou celebridade. Dona Fátima revelou um segredo: Adriano (como ela gosta de chamar o filho) nasceu em Brasília por um erro de cálculo, mas de nada adiantou ter nascido na capital federal, pois o destino do rapaz é mesmo o Nordeste. E os alagoanos já adotaram o bom rapaz, famoso, que  tem os pés no chão e é bem temperado na simplicidade.

Chef Wanderson  no seu mais novo audacioso voo, Canto do Picuí (@cantodopicui), o restaurante contemporâneo com tempero alagoano e nordestino em São Paulo

Rota: Canto do Picuí

Rua Ferreira de Araújo, 329 – Pinheiros, São Paulo – SP/ Telefone: (11) 95583-7134/

Funciona de terça a sábado das 19h  às 23h30/ Domingo das 12h às 15h

 

«

»

1 comentário
  • Wilton
    1 segundo Atrás

    Matéria linda💙

Comentários desse post

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-me no Instagram

Instagram did not return a 200.