TOPO
cozinha de boteco Destaques

E de Safadeza, você gosta?

Não interprete errado o título, este é o nome do petisco mais popular das festas dos anos dourados. Safadeza é um dos aperitivos do Bar Cachorro Engarrafado (@barcachorroengarrafado), de Cleonisson Alves, no bairro do Santo Eduardo, um lugar de tradições alagoanas. Porque é conhecida como Safadeza? Não sei responder, vou deixar para o Cléo explicar: “Quem nasceu no século XXI provavelmente não conhece, mas quando conhecer, vai amar,  como se diz hoje. Reinava  – quase que absoluto – nas festas residenciais chamadas de “assalto “. Nessas festas, safadeza, sacanagem e saliência não podiam faltar. Quem ainda não experimentou, não perca tempo: é saborosa a junção num palito, de queijo, salsicha (de lata) e azeitona. “É tão bom que dá  vontade de querer mais!!!”, conta Cléo.

Mais delícias do Bar do Cachorro Engarrafado:

Charque guisado com pão, opção de petisco do Cachorro Engarrafado

O charque guisado encanta o paladar, supermacio, envolto no caldinho bem temperado e sal na medida certa. Para escoltar, a tradicional farofa de ovos e feijão verde (este é de comer sem acompanhamento). Claro, Whisky, para quem ama, ou cerveja estupidamente glacial, porque Cleonisson Alves, o famoso Cléo, chef da casa e das panelas, também aprecia uma gelada e, por sinal,  é bastante exigente na temperatura das cervas.

Macarronada com leitão, uma boa pedida do Cachorro Engarrafado

O alagoano Cléo no auge da sua juventude, frequentou as melhores macarronadas da nossa Maceió: Zefa, Edson, Eureka, Alvarorada… Mas não era macarronada da cozinha italiana, era alagoana da gema, receita simples, preparada com extrato de tomate e outros ingredientes, entre eles a manteiga do Sertão. E essas massas nutriram uma geração embaladas de farras e festas, finalizadas no prato de macarrão com ovo, leitão, camarão, galinha cabidela… Esta tradição, Cléo trouxe para o seu boteco, Cachorro Engarrafado (@barcachorroengarrafado), nas noites de terça-feira a domingo, a partir das 18h. Amei a que vem com leitão.

Lambreta preparada de forma tradicional e servido com o próprio caldinho do molusco

Os baianos amam lambreta. Dão o mundo pelo molusco redondo e carnudo. Ele é cozido no próprio caldo com tomate, cebola, e bastante coentro. Tradicionalmente, o caldinho de sabor aguçado é servido no copinho. Eu sou uma das alagoanas que aprecio, sem moderação, o parente da ostra. No bar Cachorro Engarrafado, o bichinho da água doce tem assento cativo, como também o sururu de capote com pirão, mas com reservas antecipadas para poder se esbaldar no prato mais alagoano.

Sururu de capote com pirão, tradição alagoana

Sururu de Capote é nosso prato mais alagoano e difícil de encontrar nos restaurantes, mas, no Cachorro Engarrafado basta encomendar com dois dias de antecedência para comer o molusco no casco no leite de coco. A tradição vem escoltada pelo pirão escaldado, porque não vai ao fogo. É uma mistura de farinha de mandioca no caldo quente do sururu. É de comer lambendo os beiços

Cleo com sua saudosa, mãe dona Mocinha, inspiração do cardápio do Bar Cachorro Engarrafado

Cachorro Engarrafado

Preço: Safadeza – R$ 20,00 (10 unidades)/ Lambreta (dúzia) – R$ 25,00/ Sururu de capote com pirão (por encomenda) – R$ 50,00

Terça a Quinta-feira das 16h às 23h/ Sexta e Sábado das 11h às 23h /Domingo das 11h às 20h./

Rua Cap. Marinho Falcão, 501 – Santo Eduardo/ Telefone: 82 3357 4382

 

«

»

Comentários desse post

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-me no Instagram

Instagram did not return a 200.