TOPO
Destaques Mais lidos

Carne de banana, medalha de ouro de julho

Como estamos nas Olimpíadas, e muitos brasileiros trouxeram medalhas, vou seguir a tradição do meu blog e divulgar as medalhas de ouro, prata e bronze desse mês. Estas são as postagens mais acessadas pelos meus leitores: em primeiro lugar do pódio, a receita de carne da casca de banana com 19.398. Mas não é para menos, com o preço da carne pela hora da morte, é normal buscar outras alternativas, por sinal, gostosa e saudável. A prata foi para a receita da pamonha diet da nutricionista Débora Wagner (@nutrideborawagner) com 16.519. Já o mungunzá da Galega ganhou medalha de bronze com 12.258 cliques. Vamos recordar, os mais lidos de julho?

Casca de banana temperada com ingredientes de carne guisada é muito bom

Ingredientes

8 bananas

1 cebola

1 tomate

Meio pimentão

3 cabeças de alho

1 colher de chá de cominho

3 colheres de sopa de vinagre

2 colheres de azeite oliva

2 colheres de sopa shoyu de coco da Copra (ou outra marca) esta tem menos sódio.

limão

Sal e pimenta a gosto

Arranhe a parte branca da casca de banana com ajuda de um garfo

Em seguida retire toda polpa branca da casca de banana

Modo de preparo

Retire as cascas das bananas

Com ajuda de um garfo arranhe polpa branca da carne, e retire toda a polpa.

Com todas as cascas sem a parte branca, cubra de água e acrescente duas colheres do sumo de limão e deixe por 15 minutos.

Na panela coloque tomate, pimentão, cebola, coentro e alho (todos picados) no azeite, deixe refogar para amolecer.

Escorra a água, corte as cascas em pedaços e junte aos legumes, coloque o shoyo, e deixe cozinhar até ficar mole e acerte o sal.

Sirva a carne de casca de banana com o que você gosta, no pastel é 10.

Deixe as cascas da banana na água com limão. Corte os legumes


2. Pamonha diet

Receita prática da pamonha diet

m minhas dicas juninas, o meu amigo Geraldo de Majella (@majellamarques54) perguntou como ficavam os diabéticos para comer as delícias da época,  já que todas tinham açúcar. Assim sendo, recorri mais uma vez ao book de Receitas Juninas Funcionais, a Pamonha de Forno da nutricionista Débora Wagner (@nutrideborawagner). É superprática, e como eu não tinha espiga de milho, recorri à lata do grão e ficou legal, principalmente para quem tem restrições aos açúcares e ao glúten, prática e fácil, a textura é mole, diferente do bolo.

Débora carrega na sua bagagem as lembranças saborosas do preparo das comidas juninas, na casa da minha vó Margarida

A receita faz parte e-book de Receitas Juninas Funcionais da nutricionista Débora Wagner, basta baixar gratuitamente no site https://www.deborawagner.com.br/

Pamonha de forno da nutricionista Debora

Pamonha de forno

3 ovos

1 colher de sopa de manteiga ghi em temperatura ambiente

3 xícaras de grãos de milho verde cozidos (ou milho de caixinha)

2 xícaras de leite de coco fresco (usei leite da Sococo)

1 xícara de adoçante natural eritritol ou stévia em pó

1 pitada de sal rosa moído

1 colher de sopa de fermento em pó

Liquidifique os ovos com a manteiga, o milho, o leite de coco, o adoçante e o sal até formar um creme liso.

Transfira para um bowl e adicione o fermento em pó, misture suavemente.

Leve a massa ao forno pré aquecido (200 graus) em uma assadeira untada com manteiga ghi, asse por 50 minutos, até dourar.


3. Galega do Mungunzá

Nos dias de sábado e domingo com três panelões, dois de mungunzá e um de sopa,

Maria José de Lima, nascida em São Luiz do Quitunde, é conhecida como Galega da sopa e do mungunzá na AL 101 Norte, na cidade de Paripueira. Para comer seus quitutes é preciso acordar cedo, porque ela chega às 5h30 nos dias de sábado e domingo com três panelões, dois de mungunzá e um de sopa, além das tapiocas. A alagoana continua no mesmo lugar, na frente Padaria Big Pão, mas tem novidades: nos dias de quinta-feira, a partir de 16h, tem mungunzá, sopa e tapioca. Agora ela aceita cartão de crédito e débito. E tudo continua divino. Então anote: quinta-feira, 16h. Sábado e domingo das 5h30 até o último copo de mungunzá.

Para o mungunzá perfeito, cada caldeirão leva seis cocos. Eles são ralados manualmente para dar um bom leite para o milho ficar bem macio. Já a sopa de carne, recebe batata, chuchu, abóbora, cenoura, tomate, cebola, coentro e abobora, e tem caldo bem encorpado. Tudo da Galega é com tempero nordestino, simples, e muito gostoso.

Galega em 2107 sem máscara. Em 2021 a máscara virou fardamento

Preço: mungunzá e sopa (copo 400 ml) a partir de R$ 4,00/ Aceita-se cartão

Funciona: quinta-feira a partir das 16h30/ Sexta e sábado a partir das 5h30 até o copo de mungunzá/

Na AL 101 Norte, na cidade de Paripueira,  na porta da Padaria Big Pão/ Telefone: (82) 99304-6362/ (82) 99985-8221

«

Comentários desse post

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-me no Instagram

Instagram did not return a 200.