TOPO
Chef na Cozinha Gastronomia

Cozinha experimental na Palateia

 

No dia 25 de março, sob sol forte, minha missão era acordar cedo rumo ao povoado da Palateia, na Barra de São Miguel. E o bom estava por vir: acompanhar os estudantes de gastronomia, sob o comando da chef e coordenadora da Uninassau Mariana Bernardes, com o objetivo de experimentar como é a vida da comunidade que sobrevive do cultivo das ostras, sururu, maçunim e pesca.

A beleza do manguezal da Palateia

A beleza do manguezal da Palateia

Literalmente, os futuros gastrônomos  colocaram não só os pés na lama, mas também as mãos para catar maçunim, lambreta e sururu, além, claro, de colher as ostras. Enfim, conhecer a origem de como os pescados chegam até a cozinha dos  restaurantes.

O barquinho foi o banco da sala de aula na Lagoa do Roteiro para conhecer o cultivo das ostras

O barquinho foi o banco da sala de aula na Lagoa do Roteiro para conhecer o cultivo das ostras

O legal foi a integração com a comunidade. As compras dos ingredientes foram feitas no próprio mercadinho do povoado, bem como os pescados. Para a coordenadora Mariana Bernardes, entusiasta da gastronomia alagoana, a aula prática na comunidade é um aprendizado único.

Depois do passeio pela lagoa, até o cultivo de ostras, os estudantes comandaram a cozinha da creche da comunidade. E assim começou o festival de ralar coco, tratar peixe, limpar sururu, cortar legumes e criar as receitas com os próprios ingredientes da localidade. Até o maracujá do sitio do Recanto da Palateia (futura casa de eventos) entrou na história.

Pescador nas mesas das ostras também retira o sururu

Pescador retira o sururu das mesas das ostras

Os quitutes das águas doces foram compartilhados com pessoas da comunidade,  funcionários da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos e estudantes. Para fechar com chave de ouro, os estudantes  doaram livros infantis e a cozinha da creche foi entregue como estava antes, limpa e bem cuidada.

No final da postagem tem receitas, embora, nem todos enviaram, mas como jornalista posso afirmar que a experiência foi válida. Grata a Mariana Bernardes pelo convite de entender um pouco mais de como se faz uma boa cozinha alagoana.

Passadas as picadas, é apreciar a beleza do mangue e os milhares de caranguejos velozes

Passadas as picadas, é apreciar a beleza do mangue e os milhares de caranguejos velozes

Fique ligado:

A participação dos estudantes de Gastronomia da Unisnassau integrou a programação do Festival Cultural das Águas (Governo de Alagoas, Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos, Sebrae, e prefeitura de Barra de São Miguel).

 Cerca de 100 famílias cultiva os moluscos na Vila da Palatéia Cada mesa comporta 1.200 sementes.

Cerca de 100 famílias cultiva os moluscos na Vila da Palateia. Cada mesa comporta 1.200 sementes.

Seis meses é o tempo ideal para o consumo, quando o tamanho do crustáceo chega a 8 cm

Seis meses é o tempo ideal para o consumo, quando o tamanho do crustáceo chega a 8 cm

Porto de Palatéia

Porto de Palateia

O porto da Vila Palateia é lama no começo, portanto é o paraíso dos maruins. Para ir até lá, recomendável um banho de repelente, calça comprida e pernas pra que te quero.

Professoras Mariana e

Professoras da Uninassau:  Déborah Cavalcante  e Mariana Bernardoes (coordenadora) Palateia

Marilene Alves da creche da Palateia, trocou o sertão pela Barra de Sã Miguel

Marilene Alves da creche da Palateia, trocou o sertão pela riquesa natural Barra de São Miguel

Mercadinho da Vila da Palateia

Mercadinho da Vila da Palateia

Sitio “Recanto da Palateia”, parada estratégia para tomar sucos de frutas.

Sitio “Recanto da Palateia”, parada estratégia para tomar sucos de frutas. Só atende com reserva

“Ostras  Depuradas”: Projeto da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (Aecid), juntamente com o Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade (IABS), que implementaram uma unidade de depuração em Coruripe para que o molusco com selo de qualidade para chegar no mercado de restaurantes.

Maçunim da Palatéia

Maçunim da Palatéia

Receitas

Cocada com pimenta de cheiro

Cocada, receita de Ana Lins

Cocada mole de coco com pimenta de cheiro

1 lata de leite condensado/ 1 coco ralado/ 1 colher de sopa de manteiga ou margarina/ 1 ovo/ 1 pitada de sal/ Cravo e canela à gosto/ 2 pimentas de cheiro cortadas em rodelas finas/ 1/2 cx de creme de leite

Leve ao fogo todos os ingredientes misturados (menos a pimenta e o creme de leite), mexendo sempre até começar a engrossar. Acrescente então a pimenta, misture bem e, por ultimo, coloque o creme de leite. Tire do fogo, misture bem.

OBS.: Sirva quente com sorvete de tapioca e mel de engenho.

Escabeche ao molho agridoce de maracujá

Escabeche ao molho agridoce de maracujá. Receita de Edwania e Karol

Ingredientes:

1,5 de peixe/ 2 cebolas/ coentro/ cebolinha/ hortelã/ pimentas dedo de moça, caiana e calabresa/ 100ml de mel/ 3 maracujá grande/ 250ml de leite

Como fazer:

Filetar o peixe. Temperar com sal e pimenta e hortelã.

Com as sobras do peixe (cabeça, pele, espinhas e rabo), refogar com cebola, alho, coentro, pimentão, cebolinhas e as pimentas. Depois acrescentar água e leite para fazer o caldo.

Molho:

Em uma panela, coloque cebola com manteiga até ficar transparente, acrescente mel e a polpa de macacujá e deixe reduzir.

Doure o filé de peixe. Quando estiver quase pronto, jogue por cima o molho e deixe no fogo por três ou quatro minutos.

Salada de ostras

Salada de ostras

Sururu com castanha

Sururu com castanha

Espaguete com maçunim no azeite

Espaguete com maçunim no azeite

Peixada

Peixada

Feijão tropeiro de moluscos da Palateia

Feijão tropeiro de moluscos da Palateia

A equipe do Festival Cultural das Águas com os estudantes da Uninassau

. A equipe do Festival Cultural das Águas com os estudantes da Uninassau

A mestra Mariana e seus alunos de gastronomia da Uninassau, todos lindamente com a doma.

A mestra Mariana e seus alunos de gastronomia da Uninassau, todos lindamente com a doma

O passeio começa pela trilha de lama do mangue na Palateia

O passeio começa pela trilha de lama do mangue na Palateia

Quem foi pra cozinha: Adriana, Edwania, Rosiane,Laís, Tatiane, Manu, Mary, Rosecleide, Maria Lúcia , Mercia, Karol, Ana Maria,Silvia,Helen Nayara, Jairo, Jonhnatan

 

 

«

»

3 comentários
  • Artur
    4 anos Atrás

    Excelente matéria, Nide! Parabéns a você, à colega Mari Bernardes pela iniciativa. Só divulgando o engajamento da comunidade local, vamos conseguir desenvolver e valorizar o belo trabalho destas pessoas.

  • Saúdo Buarque da Silva
    4 anos Atrás

    Uma experiência ímpar. Um povo acolhedor e de uma simplicidade cativante, provando que trabalhar dignifica o homem. Parabéns pela matéria e as fotos publicadas. A Coordenadora do Curso de Gastronomia da Nas saudades, chef Mariana, no caminho certo.

  • NELMA BARROS
    4 anos Atrás

    Ontem no seu IG disse que iria ver essa matéria, e somente uma palavra descreve isso: Sensacional. Amo frutos do mar e agora recuperada de uma delicada cirurgia posso usufruir sem culpa. Não sou boa cozinheiras mas gostei das receitas e vou tentar reproduzi-las. Aguardo outras matérias deliciosas. Obrigada Nide Lins

Comentários desse post

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-me no Instagram

Instagram did not return a 200.