TOPO
Cozinha Popular Destaques

Cuscuz de R$1,00 é bom demais

No apagar das luzes de 2019, darei um tempinho nas degustações para relembrar os sabores que foram sucesso no meu blog. São restaurantes, botecos, gente e lugares que conheci neste ano, um deles é o seu Luiz Machado, o homem do cuscuz de arroz e de milho. Um senhor empreendedor que faz e vende essas tradições no Centro de Maceió, das 14h até 16h, por apenas R$1,00. Na foto o seu Luiz e sua esposa Hilda .

Cuscuz de arroz é soberano nas vendas

A história do seu Luiz começou na Rua do Sol, próximo a loja Astral Presentes. Foi onde encontrei um senhor de cabelos brancos parado com o carinho de cuscuz de arroz. Cheguei perto e iniciei minha inquisição. “Este cuscuz é bom?”, perguntei, no que ele respondeu: “O povo gosta!”. Retruquei e disse que ia comprar, mas que se fosse gostoso, ele ganharia uma postagem no meu blog. Dito e feito, o cuscuz de arroz é um espetáculo, recheado de histórias de felicidade da família do Luiz Machado, que mudou de vida, graças a tradição nordestina.

Produção de segunda a sexta é em torno de 80 cuscuz de arroz e milho

Trajetória – Luiz e Maria Hilda, casados há 45 anos, sempre lutaram para sobreviver. Ele foi cortador de cana, marchante, e ela agricultora. Viveram um tempo em São Paulo, onde Luiz foi ajudante de pedreiro e cozinheiro, mas o frio não fez bem a Hilda.

De volta para Maceió, passaram por dificuldade. A vida de marchante não dava para colocar comida na mesa dos filhos. Hilda lembrou dos tempos difíceis, de uma refeição por dia e do pão fiado da vendinha, mas logo sorriu, e agradeceu a Deus, e ao cuscuz, que salvou a família.

A cuscuzeira é uma panela industrial que Luiz adaptou para produzir o cuscuz

Genialidade – A cuscuzeira é uma panela industrial que ele adaptou. Na tampa fez 20 buraquinhos e lacrou para sempre. Quando todos os buracos estão preenchidos com a massa, já é tempo de retirar os primeiros colocados. Ainda quentinhos, eles tomam banho de leite de coco no sal

Cuscuz do Luiz virou farofa refogada na manteiga no restaurante Lali do chef Rodrigo

Rota Cuscuz de Arroz

R$1,00/ Encomendas pelo telefone: (82) 98895-3941 (Rosilene)/ (82) 98817-0806  (Luiz)

Locais de vendas: Das 14h00, e às 15h na Rua do Sol próximo Astral Presentes

«

»

4 comentários
  • luciano
    2 meses Atrás

    Quando criança comia bastante destes cuscuz (Milho e de Arroz), comprava a um Senhor, que empurrava seu carrinho pelas ruas do bairro Vergel do Lago, onde eu residia. Há muito tempo que não degusto desta delícia, agora, me tornarei cliente do sr. Luiz. Parabéns Nide Lins pela reportagem e obrigado ao Sr. Luiz e a Sra. Rosilene, por manter esta receita viva.

  • Anne Montelares
    2 meses Atrás

    sensacional!!! É palavra que pra mim define seu blog e a pessoa que voce é. Este tipo de abordagem mostra que voce faz de coração aberto do mais humilde ao mais sofisticado… sucesso e parabens por permitir que o mundo conheça pessoas como Sr. Luiz e D. Maria Hilda.

  • Antonio Santoa
    2 meses Atrás

    O valor correto é R$ 1,00 ( Hum real . )

  • chris
    2 meses Atrás

    Deve ser uma delicia , lembra muito a minha infância …onde eu corria na porta pra comprar cuscuz de arroz!!obrigada pela bela reportagem!!

Comentários desse post

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-me no Instagram

  • No Mistura Alagoana (@misturalagoana), além dos bons caldinhos, tem um desfile de comidas nordestinas, que vai da rabada com pirão ao suculento bife de faldrinha grelhada com arroz, feijão e vinagre. E tem até siri-de-coral, uma exclusividade alagoana. A única intervenção baiana é a do chef Guilherme Jordão que trouxe o molho lambão, uma receita tradicional, danada de boa. Ela acompanha os guisados com pirão para realçar o tempero.
http://www.nidelins.com.br/2020/02/20/serraria-com-sabores-alagoanos/
  • Combo de caldinhos, para mim, é uma novidade das boas. A gente prova quatro sabores e fica mais “fácil” decidir qual o predileto. Tem de feijão, galinha velha, sururu e de pitu (este, eu amo). A invenção é do restaurante Mistura Alagoana (@misturalagoana), no bairro da Serraria, com preços bem camaradas. O almoço para uma pessoa é a partir de R$ 16,80; ou pode escolher prato do dia, a feijoada na sexta-feira para duas pessoas por R$31. Gostou? Então, vamos conhecer o mais novo empreendimento na cidade alta de Maceió, que vai abrir todos os dias de carnaval.

http://www.nidelins.com.br/2020/02/20/serraria-com-sabores-alagoanos/

#dicadanide #maceio #tradição #cozinhaalagoana

Funciona todos os dias, segunda e terça das 11h até 17h/ de quarta a sábado das 11h até meia noite/ domingo até 17h
Av. Menino Marcelo, 9660 – Serraria, Telefone: (82) 3316-1114
  • Quem tem restrições ao glúten, claro, desde que não seja intolerância severa, tipo não pode nem respirar a farinha de trigo, saiba que restaurantes italianos oferecem massas sem glúten. Veja os lugares que já conheço, e aceito dicas sobre massa sem glúten para próxima reportagem .
@toscanarestaurante
@davenetotrattoria @mariaantonieta.maceio @basilicoristoranteitaliano 
saiba mais: http://www.nidelins.com.br/2020/02/19/e-sem-gluten-que-massa/
  • Já comeu pão com fermentação natural? Quem ainda não provou a iguaria, deve testar, embora seja bem diferente do nosso pão francês. Ele é mais rústico, contudo, tem sabor e seus benefícios. Ele tem baixo índice glicêmico, digestão mais fácil até para os intolerantes a glúten porque possui uma fermentação mais lenta. Também aumenta o teor das bactérias benéficas no intestino. Onde encontrar pão de fermentação natural? Back Bakery (@backbakery): Encomendas pelo telefone: 82 99697-0099/ Padaria Massa Madre (@misterfrios): Avenida Jatiúca, 162/  Telefone: (082) 3327-3636
  • No carnaval de 2011 eu visitei “Tia Jacy”, chamada, assim, carinhosamente pela família, uma das saudosas das irmãs Rocha. Na época, além de uma entrevista saborosa, fui sua auxiliar de cozinha na receita de filhoses, uma tradição da festa de Momo. A dama da gastronomia alagoana me ensinou os segredinhos do doce tradicional de carnaval, feito de farinha de trigo, água, manteiga, sal e uma calda de açúcar. Quem participou da entrevista também foi a sobrinha da Jacy, Tatalia (@mariaeuthaliamontenegro)que relembrou das histórias de sua tia. Em setembro do ano de 2014, Jacy partiu e deixou seu legado gastronômico registrado no livro “Delícias da Cozinha Alagoana”, das Irmãs Rochas, da Editora e Imprensa Oficial Graciliano Ramos. Acesse a receita no meu blog para uma festa de Momo saborosa e feliz.  http://www.nidelins.com.br/2020/02/17/filhoses-doce-tradicao-de-momo/
#dicadanide #maceio #tradição #docecarnaval
@rocha.yeda
  • @zecacamargomundo, jornalista apaixonado por nossa Alagoas, aquele abraço 💗💙😺 @thawacalixto @rodrigoaragaoal @galeriakarandash. Você @edecasaofficial, sempre bem-vindo
  • Maravilha sem glúten: macarrão de legumes, camarões e molho de queijo. Quem faz: Chef @tbrandaos do @davenetotrattoria
  • #Repost @thawacalixto (@get_repost)
・・・
Com dois chefs lindos e maravilhosos, @thawacalixto e @lekamelro .... 📸@felizpem
No camarote do.@palato24h