TOPO
Destaques Homenagem

Encontro de Botecos

Já imaginou seis botecos juntos? Bom, o restaurante Akuaba, sim. Tanto que no dia 14 de novembro, uma quinta-feira, a partir de 18 horas, tem o Encontro de Sabores com comidinhas do Boteco do Tonho, Bar do Rogildo, Churrasquinho da Mary, Bar do Renaldo (Cadoz), Tapioca Nosso Xodó e Bar do Pelado (Jatiúca). O evento gastronômico, que tem minha curadoria, é para celebrar os 25 anos do Akuaba e também valorizar e divulgar a culinária alagoana. Quem vai comandar a noite é filho da casa, o chef Jonatas Moreira, fã dos botecos alagoanos.

Os Botecos

Caldinho de camarão ao coco com maxixe

Boteco do Tonho: É um clássico da Ponta da Grossa, comando pelo sergipano Antônio Santana, o famoso Tonho, que é o responsável pelas costelinhas suínas mais saborosas da cidade: super crocantes, bronzeadas, com a gordurinha peculiar e temperadas apenas no sal. Já os clássicos caldinho de camarão ao coco com maxixe e a hóstia (rodelas crocantes de queijo parmesão) continuam muito bem cotados no mercado de botecos. No Encontro será servido o caldinho de camarão com maxixe e costelinha de porco.

Costelinha de porco do Boteco do Tonho

Bar do Pelado – É uma tradição alagoana que, recentemente, mudou de endereço: saiu da Barra Nova, em Marechal Deodoro, e agora está no bairro boêmio da Jatiúca. Mas as comidinhas continuam saborosas, como a carne de sol de porco com farofa matuta, e é este quitute que vai fazer a festa dos 25 anos do Akuaba. Vera e Osvaldo Moreira, donos do Akuaba, são fãs do Bar do Pelado, que começou com o saudoso Edvaldo Medeiros Cavalcante, que ganhou o apelido de Pelado porque era exímio jogador – foi atacante de vários times e um baluarte da gastronomia popular, e sua esposa, Marli Lima Medeiros. O Pelado da Jatíúca é comandado pelo Tadeu, filho do Pelado.

Pão de alho com charque é impossível comer apenas um na Mary

Churrasquinho da Mary: “Dia de domingo é dia de lazer”, comenta a alagoana Marilene Martins, famosa Mary, ex-cobradora de ônibus que largou a profissão de 13 anos para investir no seu próprio negócio, o “Churrasquinhos da Mary”. E uma coisa é certa, seu pequeno boteco é muito além dos espetinhos. Das suas caçarolas sai a boa comida nordestina: rabada, galinha, sarapatel, feijoada, e por aí segue. E tem mais, seu prato comercial, que dá bem pra duas pessoas, é um espetáculo. Para o Encontro vamos de caldinho de feijoada e  pão de alho com charque.

Siri na manteiga de garrafa, tradição do Bar do Cadoz

Bar do Renaldo (Bar do Cadoz): Conhecido como Bar Cadoz, há mais de 30 anos é o único estabelecimento do povoado Cadoz, na cidade de Coqueiro Seco. E tudo começou numa casa de taipa e palha de coqueiro, vendendo bebidas, onde o primeiro tira-gosto foi  siri na manteiga de garrafa, que o próprio Renaldo inventou depois que comeu peixe com os mesmos ingredientes. Ele pediu a sua esposa, Maria de Lourdes, para fazer idêntico com o siri, deu certo e o prato virou a celebridade no Cadoz. No menu de quinta fritada de aratu e siri na manteiga de garrafa.

Bolo de macaxeira da Cicinha

Tapioca Nosso Xodó : No ano de 2014, queria comer a tapioca com queijo coalho e coco ralado da Tapioca Nosso Xodó, uma recomendação do jornalista e fotógrafo, Lula Castello Branco. Mas, a Cicinha, muito simpática, me ofereceu um pedaço de bolo de massa puba… Fui ao céu e voltei. Massa macia e molhadinha, acompanhada por um café bem quentinho. Continuo encantada pelo bolo, só que, recentemente, provei o de macaxeira, que vem com uma crosta crocante formada pelo leite condensado. Cicinha vai levar tapioca e seus bolos maravilhosos de sobremesa.

Arrumadinho de charque do Bar do Rogildo

Bar do Rogildo: Em 2013, entrei pela primeira vez no modesto bar e venda (mercadinho) do Rogildo, no bairro de Bebedouro. Boa praça, com seu bigode branco, ele está sempre sorridente. O ex-pescador também gosta de contar histórias para gente rir a beça. Conversas regadas com goles de cerveja, geladíssima, que acompanham o camarão acebolado divinamente preparado pela sua Sílvia, estrela da casa. Depois do camarão acebolado, sou fã do arrumadinho de charque. A carne não é frita, ela é cozida com tomate, cebola e pimentão, conferindo um sabor especial à carne.

Viva os botecos alagoanos e o Akuaba

Os chefs Vera e Jonatas Moreira vão levar os sabores de botecos alagoanos para o Akuaba

História –  A primeira edição do Encontro de Sabores aconteceu em 2014 para celebrar os 20 anos do Akuaba, restaurante comandado pela  baiana Vera Moreira que começou sem pretensão, apenas cozinhando na sua casa em Garça Torta para os amigos. Coube ao marido Osvaldo, empreendedor nato, transformar o dom de Vera no Akuba, que, no dialeto africano, significa “Bem Vindo”. Em 2018 o espaço ganhou o título de Melhor Cozinha Brasileira pela Revista Prazeres da Mesa.

Rota Encontro de Sabores (Botecos Alagoanos)

Quinta-feira, as 18h, com comidinhas dos botecos alagoanos

Para mais informações e reservas: (82) 99997-7870

Rua Ferroviário Manoel Gonçalves Filho, 6- Jatiúca

 

«

»

Comentários desse post

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-me no Instagram

Instagram has returned invalid data.