TOPO
Destaques PANCs

Da terra para cozinha

Com o chef André Generoso, do Divina Gula, aprendi e saboreei ora-pro-nóbis no frango com quiabo, uma tradição mineira no restaurante. Mas, recentemente o chef apresentou duas novas receitas com a hortaliça considerada carne verde: pãozinho mineiro e quiche com queijo e ora-pro-nóbis, no evento da 2ª Edição do Projeto PANC nas Alagoas com o Workshop sobre – Plantas Alimentícias não Convencionais.

Pãozinho de queijo com ora-pro-nóbis em breve no restaurante Divina Gula

Para entender mais sobre o ora-pro-nóbis – significa orai por nós – o Chef André Generoso recebeu em seu sítio, na Barra de Santo Antônio, os participantes do evento, agricultores familiares, agrônomos, nutricionistas e curiosos (como eu). Coube a Nuno Madeira, da Embrapa Hortaliças (Brasília, DF) dar uma aula prática sobre o plantio e cuidados com a hortaliça.

“Ora-pro-nóbis é tradição em algumas regiões de Minas Gerais e Goiás, mas no resto do país ninguém conhece, ela é PANC”, diz Nuno da Embrapa, acrescentando que a hortaliça é da família dos cactos.

Nuno da Embrapa na aula de campo sobre as pancs

Pesquisa da Embrapa aponta que a hortaliça ora-pro-nóbis tem um valor nutricional relevante, com teor de proteína que varia de 28% a 32% na matéria seca. Também apresenta quantidades consideráveis de minerais, como potássio, magnésico, zinco, mas especialmente cálcio e ferro, além de fibras e substâncias mucilaginosas que trazem benefícios à saúde.

Folha de ora-pro-nóbis vira um canapé natural e é bom

Canapé natural

A hortaliça é usada nas mais variadas receitas e até vira canapé, que o diga a técnica daSecretaria do Estado do Meio Ambiente e Recursos hidricos de Alagoas, Domênica  Didiier. Ela utilizou a ora-pro-nóbis como canapé natural no evento da PANCS Alagoas, a folha ganhou geleia de maracujá com pitanga e hibiscos, flores comestíveis e beijuzinho. E pode fazer em casa, é muito bom.

Almoço pancs: flores comestíveis, taioba, coração de banana e abóbora de água guisados

Dom Hélder, em Murici – No evento das PANCs, além da visita ao sítio do chef André Generoso, também teve experiências no Assentamento Dom Hélder Câmara (nome abençoado) em Murici. Lá, Rita, uma das agricultoras da comunidade, recebeu os participantes com almoço de comidinhas tradicionais como galinha com pirão e quitutes PANCs: taioba e coração de banana ao leite de coco, e abóbora d’água (lembra pepino) guisado.   Na escola municipal tem uma horta e uma vez por semana, na merenda escolar, as PANCs fazem parte da dieta dos estudantes.

Ora-pro-nóbis é vendida na Feirinha da Praça Centenário nos dias de domingo

Onde comprar PANCs? Nos dias de domingo, a partir de 6h, na Feira Agroecológica e orgânica na Praça do Centenário, as Pancs têm assento cativo, os agricultores trazem várias hortaliças, flores e frutos, como é o caso de Cicero dos Santos, conhecido como Cicinho, do Assentamento Flor do Bosque, da cidade de Messias.

Cicinho é filho de agricultor, trabalhou na Construção Civil, mas há 10 anos lida com a terra no assentamento Flor do Bosque na cidade de Messias. Ele fez curso no Sebrae sobre orgânicos e agroecológico e em seu pedaço de terra, o abacaxi é o carro chefe da produção, mas ele planta de tudo, uva, limão, banana, macaxeira, banana, maracujá, hibiscos, e mamão.

Cicinho do assentamento Flor do Bosque já leva as pancs nas feiras

O alagoano cultiva as PANCs, como o jambu (erva da Amazônica), tradicionalmente a folha e flor são usadas na receita de tacacá (camarão no tucupi), contudo pode usar em outras receitas, eu usei as folhas no camarão com azeite e gostei. O chef André também cultiva e usa na cachaça e em outras receitas do restaurante.

Jambu é ótimo para usar nas receitas de frutos do mar

Na Plantação do Cicinho também tem a batata doce cenoura e a roxa, mas a produção ainda é pequena e a primeira safra foi durante toda comercializada no evento das PANCs. “As batatas roxa e de cenoura é uma experiência que estou fazendo na minha terra, acredito que entre um ou dois meses vai dar pra colher”, disse o agricultor.

Maria do assentamento Flores do Bosque vende taioba, ora-pro-nóbis e outras pancs

Já alagoana de Messias, Maria do Flor do Bosque como é conhecida, trabalhou na cana de açúcar e há 17 anos é agricultora. Nos seus sete hectares ela planta laranja, banana, limão, goiaba, manga, acerola, pitanga, café, graviola e coentrão. Nas PANCs, ela tem ora- pro-nóbis e taioba (folha e inhame). Maria estuda agroecologia na UFAL e aposta na diversidade para ter produtos o ano inteiro.

Produtos orgânicos e Pancs chega nos lares através do Delivery Ecológico

Delivery Ecológico-  Luciana Lucena e Mario Jorge moram em um sítio em Marechal Deodoro. Eles participaram do evento das PANCs para entender mais do universo das plantas não convencionais. O casal tem a empresa Delivery Ecológico e toda terça-feira entrega produtos agroecológicos e orgânicos em toda Maceió.

Para vender, o casal criou o site Deliveryecologico.com.br, onde divulga os produtos disponíveis de sexta a domingo; o consumidor escolhe o que quer e a entrega é às terças-feiras para toda Maceió. No delivery, encontra-se os produtos cultivados no sitio do casal e de vários agricultores familiares, que saem direto da terra para a  nossa casa, produtos orgânicos e com o frescor dos alimentos.

Foto oficial das Pancs das Alagoas

A 2ª Edição do Projeto PANC nas Alagoas com do Workshop sobre – Plantas Alimentícias não Convencionais foi uma ação coletiva entre Resiliência Ambiental, Quero Bem – gastronomia da família, EMBRAPA, MAPA – Superintendência Federal de Agricultura em AL, Governo de AL (SEMARH, SEAGRI), EMATER, ABRASEL, Divina Gula, UFAL, IFAL e SEBRAE -AL, UFAL e IFAL.

Geleia de hibisco do engenheiro Agrônomo, Leandro Benatto, idealizador das Pancs em Alagoas

Mais informações sobre Pancs em Alagoas

  • Resiliência Ambiental, consultoria agronômica Ltda (Leandro Benatto) – (82) 99678-5258
  • Na Feira Agroecológica e orgânica na Praça do Centenário
  • No segundo domingo de cada mês na Rua Fechada da Praia da Ponta Verde organizada pela Secretaria do Estado do Meio Ambiente e Recursos Hidricos de Alagoas
  • Delivery ecológico: (82) 99434.8324

Quiches de ora-pro-nóbis do Divina Gula

«

»

1 comentário
  • Isabela Leão
    3 meses Atrás

    Que demais!!!

Comentários desse post

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-me no Instagram

Instagram has returned invalid data.