TOPO
Cozinha paraense Destaques

Tacacá, felicidade brasileira

“Antes ou depois da chuva?” Esta pergunta é própria de Belém do Pará, porque tem sempre uma chuva passageira ao fim do dia. Contudo em Maceió, onde o sol predomina, o certo, então, é afirmar: depois das 17horas, no fim da tarde,  é tempo de tomar tacacá no Empório Grão Pará, no coração da Jatíuca,de frente para o Divina Gula.

Mas o que é tacacá? É a felicidade, é o coração paraense, que também é meu, seu e nosso! Eu declaro que sou apaixonada pela culinária do Norte, a mais brasileira de todas, com tradições como açaí com farinha de tapioca, peixe filhote, unha de caranguejo, maniçoba…

Tacacá, uma uma tradição indígena é servido quente numa cuia (cabaça), camarão, jambu, tucupi e goma de mandioca

Para deleitar-se nas tradições do Empório Belém Pará, inicie a degustação pelo tatacá, uma tradição indígena. É um caldo preparado com a goma da mandioca, tucupi (sumo da mandioca braba), alho, sal, pimenta, jambu (erva que adormece a boca) e camarões defumados. Tudo isso faz do tacacá de sabor único, uma acidez suave, marcante e autêntica brasileira, herdada dos índios, ou seja, há  mais de 500 era ao que fazia a festa da aldeia. É servido quente numa cuia (cabaça), e apenas com o auxilio de um garfinho de madeira para enrolar o jambu, mastigar e sentir o céu da boca adormecer. E note que, principalmente os nortistas, já pedem o tacacá e saem feliz da vida, como se fosse o retorno ao doce lar.

A culinária de Belém do Pará é rica de tradições, siga as minhas dicas:

Para gente coxinha para a cozinha paraense é unha de caranguejo, a melhor do mundo

Unha de caranguejo – Quando olhei pro balcão, disse: quero a coxinha de caranguejo, porque visualmente é o formato de coxinha, mas a tradição é batizada de Unha de Caranguejo porque fica com a pontinha aparecendo por fora do recheio. Divinamente saborosa. A carne é temperada no alho, pimentas de cheiro e do reino, chicória e sal. Depois, é envolvida na massa de farinha de trigo. Impossível comer apenas uma.

 

Maravilhosa: Casquinha de caranguejo não leva coco e vem coroada com farofa

Mais caranguejo – A casquinha de caranguejo é poderosa, a carne tem o mesmo tempero da unha, e o arremate final é a farofa por cima. Ela é preparada em fogo baixo com a farinha surui (cor amarela), manteiga, alho, sal e cebola. É tão maravilhosa, que deu vontade de comer a farofa de “tuia”.

Açaí 100% puro, e a tradição é comer com farinha e açúcar

Tradição – Quando for provar o açaí do Belém do Pará, esqueça como se come aqui, misturado com frutas, leite condensado, farinha láctea, leite Ninho, e por aí vai. A tradição é saborear a polpa da fruta pura, adicionar açúcar, e farinha de mandioca (rústica ou de tapioca). É uma maravilha, claro que, quem está acostumado a adicionar doçuras no açaí, vai estranhar.

Taça da Feleicidade: Pudim com creme e doce de cupuaçú

Taça da felicidade – É o nome da sobremesa clássica das famílias de Belém do Pará, é um mini pudim de leite com frutas da época, doce e creme de cupuaçu. Eu, como não curto pudim (acreditem), digo que o cupuaçu salvou a iguaria.

Chef Shezu Lee  sua cunhada Cláudia Pinheiro trouxeram para Maceió a cozinha mais brasileira de Belém do Pará

Elas – Como o tucupi veio parar em Maceió? Graças aos paraenses, em especial às mulheres, a chef Shezu Lee  sua cunhada Cláudia Pinheiro, os maridos de ambas vieram trabalhar no Polo e, claro, a saudade da comida de Belém do Pará era imensa.  Como em Maceió não tem principalmente os ingredientes da culinária do Norte, em especial o tucupi (caldo extraído da mandioca braba), em nome da felicidade a família abriu o restaurante. E trazem de Belém todos ingredientes. Ao mês, chegam por aqui 300 litros de tucupi.

Detalhe do restaurante é uma embaixada de Belém do Pará

Cláudia Pinheiro é do administrativo, das compras, do estoque, responsável em não faltar nenhum ingrediente. Já a Shezu Lee é a nossa chef, quem manda bem nas tradições, formada em gastronomia, filha de mãe paraense e pai coreano, sempre gostou de espiar a vó Celina na cozinha, mas a ela não era permitido mexer em nada. Só restava contemplar e sentir os aromas do tucupi, beiju, dos peixes frescos do Rio Amazonas.

Bolinho de piracuí, uma das maravilhas da cozinha paraense

Inspirada na culinária paraense, aprendeu a fazer doces pelo Youtube e já adiciona as frutas da região, como o cupuaçu. Primeiro fez ovos de páscoa para família, depois anunciou e vendeu tudo. Apaixonou-se pela confeitaria que, por sinal, faz muito bem, mas o mais legal é que a cozinha mais brasileira, como o tacacá,  herança dos índios da Amazônia, é bem-vinda na terra dos caetés.

Rota Empório Grão Pará

Preços: R$10,00 até 110,00 (caldeirada de peixe filhote) para três pessoas/ Tacacá: R$15,00/ Aceita-se cartões

Funciona de terça a quinta a partir das 17h/ sexta, sábado e domingo das 11h30 as 15h/ 117h as 22h

Av. Eng. Paulo Brandão Nogueira, 331 – Jatiúca (de frente para o Divina Gula) – Telefone 3313.7889

 

 

«

»

5 comentários
  • Vicente Felix
    4 semanas Atrás

    Boa tarde Nide, o título não está equivocadao? Não é TACACÁ?

    • Nide Lins
      4 semanas Atrás
      AUTOR

      Vicente,erro de digitação, já corrigi. grata, abraços

  • Giselle mascarenhas
    4 semanas Atrás

    Nide, sou paraense e já estive no restaurante 3 vezes! Confesso q no dia da inauguração fui tão ávida pelo tacacá q cheguei lá as 16h, sendo que a inauguração era as 18h! Kkkkllk…
    Mas fui tão bem recebida mesmo adiantada, por meus conterrâneos que voltei e voltei…
    Sou AMANTE desta culinária e o @emporiograoparamaceio chegou com todos os cheiros e sabores dignamente. Que bom que vc gostou…. quem sabe a gente não se topa em uma dessas tardes por la, “né mana?!”

    • Nide Lins
      4 semanas Atrás
      AUTOR

      com certeza, e viva Belém do Pará

  • Vilker
    4 semanas Atrás

    Gostei muito do restaurante. Fui excepcionalmente bem recebido. Preços com ótimo custo/benefício. O único pequeno detalhe que achei é que os garçons ainda não estavam tão informados de todo os preparos dos pratos, mas isso deve com certeza ao recente início do restaurante! Com certeza irá crescer bastante tamanha é a qualidades dos pratos e a qualidade no atendimento! Recomendo para todos. Parabéns para os empresários por trazer a culinária paraense para Maceió!

Comentários desse post

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-me no Instagram

  • Quando dei a primeira paquerada no bufê da Casa do Chef, logo encontrei o tutu à mineira. Alguns clientes do restaurante chamam de pirão de feijão. Pois bem, ter esse prato no cardápio era um forte indício de que na cozinha do restaurante deveria ter um mineiro, uai. E tem mesmo: a família do chef Rafael Gendiroba. Mas o cardápio é variado, com franguinho grelhado, costelinha de porco, bife de panela, feijoada, carneirinho, saladas …
Saiba mais no meu blog: http://www.nidelins.com.br/2019/05/24/muito-alem-do-pirao-de-feijao/
Bufê sem balança: R$15,00 uma proteína/ R$ 18,00 duas proteínas / Aceita-se cartões
Funciona de segunda a sexta-feira das 11h00 até 14h30
Rua Professor Francisco Cândido de Mendonça, 55 – Gruta de Lurdes (próximo a Unilab)
  • O ravióli do restaurante Veneto Trattoria (@davenetotrattoria) é produzido na própria cozinha do chef Thiago Brandão (@tbrandaos), e o frescor conquista o paladar seja na versão chocolate ou com queijo do reino. Como dizem, a massa é a cereja do bolo. Confira no meu blog: http://www.nidelins.com.br/2019/05/22/ravioli-do-chef-thiago-brandao-e-amostrado/
#dicadanide #paradois #maceio #italiano #pontaverde #restaurante
Da Veneto Trattoria
Preços: Entradas de R$ 10,00 até R$62,00/ Pratos principais: de R$ 38,00 até R$ 68,00
Rua José Freire Moura, 255 – Ponta Verde/  Telefone (82) 3013-0812 Terça a Sábado, das 18h30 às 23h30/ Sexta-feira das 12h até as 15h/ Domingo das 11h30 às 15h00
  • Brasília até a próxima...
  • BRASÍLIA está mais saborosa. É que nesta quarta-feira, 22, os chefs do Senac Alagoas, @harricicero @edvaqueiroz @chris67  prepararam um almoço bem alagoano. Nas panelas entrou camarão, macaxeira, mariscos, coco, manga, carne de sol, carneiro...
@geilsamartinsrocha @analuizapenedo @claudiapessoabsm @fecomercioal @telmamribeiro @senacalagoas
  • Terça-feira, dia 21 de maio, acordei com saudades do meu Sertão alagoano, que tanto amo. Em cada viagem pelas cidades alagoanas faço meu registro de lugares com comidinhas que confortam o corpo com alegria, e são temperados com histórias de gente empreendedora. Então, sigam as minhas dicas em Delmiro Gouveia, Piranhas, Olho D'do Casado, Monteirópilis e São José da Tapera, e vamos ser felizes. Confira no meu blog: http://www.nidelins.com.br/2019/05/21/bateu-saudades-do-sertao/
Foto do @espacoangicos
#dicadanide #alagoas #turismo #sertao #piranhas #olhodaguadocasado #saojosedatapera #monteropolis
  • Minha Maria Bonita virou uma estrelinha. Agradeço de coração a todos que me ajudaram a lutar pela vida dessa gatinha que gostava de ser artesanato e eu amava e ainda amo.
  • Maria Bonita conseguiu um doador, Luke, um jovem gato de 02 anos. A transfusão foi realizada com sucesso pelo doutor @vetfilipe e minha Maria Bonita, uma senhora de 12 anos, continua na luta pela vida. Ela retirou um tumor no intestino . GRATA a todos que vieram doar vida. Na foto, a mãe do Luke @islania_queiroz. GRATIDÃO
  • As @geleias.dorancho vieram de Arapiraca para meu doce lar e trouxeram doçuras.
#dicadanide #edecasa #artesanal #Arapiraca #alagoas