TOPO
boteco temático Destaques

Coxinha do Conversa

Já comeu as coxinhas de galinha do Conversa Botequim? Pois bem, as beldades são viciantes. A gente começa a comer e não querer mais parar. Na receita, o salgado leva batata inglesa, farinha de trigo e leite, depois são empanadas na massa de tempurá e farinha panko (pão japonês). O recheio é generoso.

Para acompanhar o petisco, cerveja bem gelada ou drinks do Itynerantys. Ambos são uma ótima proposta nas noites de Maceió, com a boa música que dá o tom e mais sabor às comidinhas de boteco.

Veja as minhas dicas do Conversa Botequim:

Rabada com polenta e drinque Itynerantys

Rabada – A tradição nordestina ganhou leveza. A carne fica por cinco horas marinada com condimentos, ervas frescas e vinho tinto. Segundo o chef da casa, Reinaldo Lyra, a rabada é cozida em fogo baixo até soltar do osso. “A carne vai para a refrigeração até toda gordura formar uma camada gelatinosa que é retirada para diminuir o excesso”, diz Lyra. Resultado, a carne é macia, bem temperada e ainda tem o agrião sobre o molho espesso. Para nossa alegria, a tradição vem escoltada por polenta.

Petisco vegetariano com queijo coalho e vegetais grelhados regado no azeite

Natural – Os vegetarianos podem ficar felizes. Tem uma frigideira de legumes grelhados, temperados no sal, mix de pimenta (rosa, branca e reino)  e regados no azeite extra virgem.

Drinques bem saborosos do Itynerantys

Parceria – O mineiro Dalton Passos, personal trainer, teve a brilhante ideia de montar drinques de frutas (com e sem álcool) num food truck. Assim nasceu o Itynerantys, com combinações maravilhosas, e está presente nas melhores festas. Agora, os drinques têm assento cativo no Conversa Botequim.

Nossa feijoada na versão de bolinho com molho de pimenta, um bom começo no Conversa Botequim

Bolinhos – Na panela da feijoada, um dos pratos mais brasileiros contém charque, calabresa, paio, costela, pé de porco, bacon, costela  suína, torresmo, couve… Tudo dá sabor ao feijão preto bem curtido nos temperos das carnes, e nunca sai da moda, ainda mais sendo uma receita sem glúten e sem lactose. Agora conceba este conteúdo culinário virar bolinhos. A primeira vez que ouvi falar dessa versão veio das bandas do Rio de Janeiro e fiquei muito curiosa. Provei numa viagem à Cidade Maravilhosa, no bairro de Santa Tereza. Tinha os bolinhos, porém experimentei os pasteis da feijoada, e apreciei a inovação. E os bolinhos do Conversa Botequim são bons.

Chef Reinaldo Lyra, desde 2012 comanda as panelas do Conversa Botequim

Nas panelas – A paixão pela cozinha sempre falou mais alto para o chef Reinado Lyra.  Ele começou como auxiliar de cozinha e investiu nos estudos. Formou-se cozinheiro profissional pelo Senac. O alagoano está no Conversa Botequim desde a abertura da casa, em novembro de 2012, como chef de cozinha. E manda bem na seleção do petisco de botecos.

Conversa Botequim lugar descontraído para comer, beber e viver

Rota Conversa Botequim

Preços vão de R$10,00 até R$69,00/ Aceita-se cartões

Endereço: Empresário Carlos da Silva Nogueira, 334 – Jatiúca – Telefone:(82) 3022-6063

Funciona -De quinta á sábado das 17h às 02h

Muito samba no Conversa Botequim

«

»

Comentários desse post

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-me no Instagram

  • No Mistura Alagoana (@misturalagoana), além dos bons caldinhos, tem um desfile de comidas nordestinas, que vai da rabada com pirão ao suculento bife de faldrinha grelhada com arroz, feijão e vinagre. E tem até siri-de-coral, uma exclusividade alagoana. A única intervenção baiana é a do chef Guilherme Jordão que trouxe o molho lambão, uma receita tradicional, danada de boa. Ela acompanha os guisados com pirão para realçar o tempero.
http://www.nidelins.com.br/2020/02/20/serraria-com-sabores-alagoanos/
  • Combo de caldinhos, para mim, é uma novidade das boas. A gente prova quatro sabores e fica mais “fácil” decidir qual o predileto. Tem de feijão, galinha velha, sururu e de pitu (este, eu amo). A invenção é do restaurante Mistura Alagoana (@misturalagoana), no bairro da Serraria, com preços bem camaradas. O almoço para uma pessoa é a partir de R$ 16,80; ou pode escolher prato do dia, a feijoada na sexta-feira para duas pessoas por R$31. Gostou? Então, vamos conhecer o mais novo empreendimento na cidade alta de Maceió, que vai abrir todos os dias de carnaval.

http://www.nidelins.com.br/2020/02/20/serraria-com-sabores-alagoanos/

#dicadanide #maceio #tradição #cozinhaalagoana

Funciona todos os dias, segunda e terça das 11h até 17h/ de quarta a sábado das 11h até meia noite/ domingo até 17h
Av. Menino Marcelo, 9660 – Serraria, Telefone: (82) 3316-1114
  • Quem tem restrições ao glúten, claro, desde que não seja intolerância severa, tipo não pode nem respirar a farinha de trigo, saiba que restaurantes italianos oferecem massas sem glúten. Veja os lugares que já conheço, e aceito dicas sobre massa sem glúten para próxima reportagem .
@toscanarestaurante
@davenetotrattoria @mariaantonieta.maceio @basilicoristoranteitaliano 
saiba mais: http://www.nidelins.com.br/2020/02/19/e-sem-gluten-que-massa/
  • Já comeu pão com fermentação natural? Quem ainda não provou a iguaria, deve testar, embora seja bem diferente do nosso pão francês. Ele é mais rústico, contudo, tem sabor e seus benefícios. Ele tem baixo índice glicêmico, digestão mais fácil até para os intolerantes a glúten porque possui uma fermentação mais lenta. Também aumenta o teor das bactérias benéficas no intestino. Onde encontrar pão de fermentação natural? Back Bakery (@backbakery): Encomendas pelo telefone: 82 99697-0099/ Padaria Massa Madre (@misterfrios): Avenida Jatiúca, 162/  Telefone: (082) 3327-3636
  • No carnaval de 2011 eu visitei “Tia Jacy”, chamada, assim, carinhosamente pela família, uma das saudosas das irmãs Rocha. Na época, além de uma entrevista saborosa, fui sua auxiliar de cozinha na receita de filhoses, uma tradição da festa de Momo. A dama da gastronomia alagoana me ensinou os segredinhos do doce tradicional de carnaval, feito de farinha de trigo, água, manteiga, sal e uma calda de açúcar. Quem participou da entrevista também foi a sobrinha da Jacy, Tatalia (@mariaeuthaliamontenegro)que relembrou das histórias de sua tia. Em setembro do ano de 2014, Jacy partiu e deixou seu legado gastronômico registrado no livro “Delícias da Cozinha Alagoana”, das Irmãs Rochas, da Editora e Imprensa Oficial Graciliano Ramos. Acesse a receita no meu blog para uma festa de Momo saborosa e feliz.  http://www.nidelins.com.br/2020/02/17/filhoses-doce-tradicao-de-momo/
#dicadanide #maceio #tradição #docecarnaval
@rocha.yeda
  • @zecacamargomundo, jornalista apaixonado por nossa Alagoas, aquele abraço 💗💙😺 @thawacalixto @rodrigoaragaoal @galeriakarandash. Você @edecasaofficial, sempre bem-vindo
  • Maravilha sem glúten: macarrão de legumes, camarões e molho de queijo. Quem faz: Chef @tbrandaos do @davenetotrattoria
  • #Repost @thawacalixto (@get_repost)
・・・
Com dois chefs lindos e maravilhosos, @thawacalixto e @lekamelro .... 📸@felizpem
No camarote do.@palato24h