TOPO
Botecos Destaques

“Campeón”, sucesso desde 2016

 

2018 está indo embora e resolvi publicar os textos mais acessados do meu blog como, por exemplo, o que fala sobre  o Boteco do Urugua, que durante anos era privilégio dos moradores do bairro do Poço. Lembro que a primeira vez em que fui lá, César Piris, conhecido como “Campéon”, ficou desconfiado comigo, afinal, eu  fazia tantas perguntas que, claro, era mesmo de se perguntar “quem é está mulher”?. Nessas minhas andanças pelo blog, muitas vezes, algumas pessoas acham que sou uma agente camuflada da  Vigilância Sanitária.

O casal de empreendedores: Cesar e Angelica do Boteco do Urugua. Foto @japiassu_

Mas depois que comi a coxinha (coxão do Boteco do Urugua), tive a certeza que o local merecia entrar entre as dicas do blog. Alertei que ele deveria aumentar o número para 50 coxinhas, resultado:  vendeu tudo, o lugar ficou pop, sempre lotado, ele teve que  mudar de endereço, agora no bairro do Jaraguá, e ainda falta cadeira. Saiu da informalidade, virou Micro Empreendedor Individual, antes era César e sua amada Angélica, agora tem garçons e churrasqueiro. E as comidinhas continuam divinas.

Perfil do pastel uruguaio, até parece “grávido” com seu recheio farto

Trajetória – César nasceu em Paysandú, interior do Uruguai, ainda criança mudou-se para Montevidéu. Terminou o segundo grau e começou a trabalhar. De tudo fez um pouco. Foi ajudante de cozinha num barco de pesca em alto mar e labutou em supermercado, padaria e por aí vai.

César era hippe e um viajante errante,  e assim pela estrada, onde viajou a pé e de vez em quando pegava carona, chegou ao Brasil somando quatro anos de aventura por cidades do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo, Bahia e Sergipe. Mas quando chegou ao Recife, o calor danado pedia um mergulho no mar. A partir daí sua vida virou pelo avesso: roubaram todos os seus pertences e, sem lenço e sem documento, só restou viver na rua.

Kafta e batata doce do Boteco do Urugua

Decidiu tentar a sorte na capital alagoana, embora tenha sido alertado de que aqui era “terra de matador”.  César não deu ouvido. Sem conhecer ninguém e sem documentos, trabalhou nas ruas da capital alagoana, lavando e tomando conta de carros por uns trocados. Até labutou por um prato de comida  por dia numa loja de autopeças.

Graças a solidariedade em forma de sopa com tempero de amizade, doada pelos voluntários da Casa dos Espíritos, César encontrou uma oportunidade. Lá, ele conheceu Prazeres, que deu ao morador de rua a possibilidade de ser vendedor de confeitos. Daí, ele economizou e partiu para comercializar cachorro quente em uma bicicleta.

Minha paixão, espetinho de fígado de galinha

E foi no seu novo emprego de vendedor de suco e sanduíches que conheceu sua amada Angélica. Juntos fundaram o Boteco do Urugua, que atualmente saiu da informalidade e virou Empreendedor Individual. Ambos são inspiração para todos nós.

No Boteco do Urugua tem até comida japonesa, mas é preciso fazer reservas

Rota Boteco do Urugua

Preços a partir de R$ 2,00 até R$ 15,00/ Coxinha e Pastel – R$ 4,00/ Churrasquinho a partir de R$ 3,50 – Aceita-se cartões

Rua Melo Póvoas, 165, Jaraguá/ Depois do Centro de Convenções (sentido Jaraguá/ Pajuçara)/ Funciona de segunda à sexta, das 16 horas até a meia noite/ Telefone:82 99153.8337

«

»

1 comentário
  • Franciele
    12 meses Atrás

    Nide, graças a sua indicação meu esposo e eu fomos conhecer o Boteco do Urugua. Amamos os petiscos e a caipirinha.

Comentários desse post

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-me no Instagram

Instagram has returned invalid data.