TOPO
Destaques

Um dia com os índios Xucuru Kariri

“Sejam bem-vindos, essa aldeia não é nossa, é de vocês”. É com estas palavras que o cacique Wakoná, recebe os visitantes na Aldeia Indígena Mãe Serra do Capelo, da Tribo Xucuru Kariri, no município de Palmeira dos Índios. Nesse solo sagrado da Mata Atlântica, além da voz do cacique, ouve-se um cântico que se mistura ao som dos bichos e da natureza. O coração bate forte diante do toré de boas vindas, e os índios jovens e crianças pintadas surgem entre as plantas dançando e cantando.

O pequeno índio e arara, amizade e respeito na natureza

Quem assiste o espetáculo dos índios, fica com o coração acelerado diante da pureza do cântico, do lugar, da energia, do respeito, e mais ainda, de ver os jovens seguirem as tradições indígenas, mesmo exercendo outras profissões. Eles dedicam parte do seu tempo para os rituais, fazer artesanato, e agora compartilham com os turistas a Experiência  Xucuru Kariri.

Toré de boas vindas, e os índios jovens e crianças pintadas surgem entre as plantas dançando e cantando

Experiência  Xucuri Kariri é o nome do roteiro realizado pela Aventura Eco Brasil, com a proposta do viajante descobrir as surpreendentes aldeias indígenas da Chapada da Borborema, guardiã do universo dos primeiros habitantes do Brasil. O solo é sagrado, então só é possível entrar com autorização dos índios e em períodos específicos, quando eles não estão recolhidos para seus rituais.

Trilhas

Pajé Lenoir, conhecedor da Mata Atlântica guia os turistas pela natureza

O pajé Lenoir, conhecedor da Mata Atlântica, tem a alma de criança alegre, mas os pés no chão. Entre cada passo, ele fala do poder da cura das plantas, e mostra com orgulho a beleza do lugar. Assim ele vive feliz na sua Aldeia Cafurna, onde também é artesão, fazendo instrumentos de madeira que emitem o som dos pássaros, além dos cocais, arcos e flechas.

O guia da Mata Atlântica ficou famoso com sua participação na novela Velho Chico, no papel de pajé Moacir. Na ficção, ele salvou Santo ( Domingos Montagner), par romântico da Tereza (Camila Pitanga). Além de muita história para contar, o pajé, diz: “Quem conhece a mata, jamais maltrata ela, que é  nossa respiração”.

Na visita os turistas aproveitam para comprar o artesanato indígena

“Quem vem aqui aprende a amar a natureza”, diz o pajé na trilha curta e fechada, de poucos obstáculos, cercada de belezas. Recomendado é desligar o celular, caminhar em silêncio para ouvir os pássaros, os bichos, o vento, o cair das folhas… Viver um pouco como índio, primeiros habitantes do Brasil

Jovens seguem as tradições indígenas mesmo levando uma vida normal na cidade

Quem faz o passeio: a Aventura Eco Brasil faz o passeio Experiência Xucuru Kariri com reservas antecipadas de grupo.

O passeio consiste em  vivenciar  e participar de um toré de boas vindas, ver uma exposição de artesanato produzido com matéria prima da floresta, saborear comidas típicas com rico tempero, além de pinturas tribais e tiro com arco e flecha.

Toré de boas vindas dos índios Xucuri Kariri para os turistas

Também tem trilha em território indígena até o Cristo Redentor da Serra do Goití para contemplar o pôr do sol da Chapada da Borborema, e um encontro especial com um pajé cheio de histórias pra compartilhar sobre sua cultura ancestral.

Aventura Eco Brasil: (82) 98807.6968 / Facebook e Instagram: @aventuraecobrasil

Tribo Xucuri Kariri em Palmeira dos Índios

Galinha do Neguinho

Em Palmeira dos Índios minha dica é a galinha de capoeira (orgânica) guisada com pirão do Bar do Neguinho. O engraçado é que a penosa é servida na panela para não levantar suspeita de que a galinha não é inteira, esclarece, Neguinho (Edvan Ulisses), esposo da Luísa. A forma do preparo é tradicional, na simplicidade do tempero alagoano, com cominho, colorau, tomate, cebola…

Galinha de capoeira, tradição do bar do Neguinho em Palmeira dos Índios

Bar do Neguinho – Funciona todos dias, das 10h até 17h, a galinha de capoeira tem sempre, já o sarapatel de galinha é preciso encomendar com um dia de antecedência.

Serras das Pias, AL 115, S/N – Zona rural de Palmeira dos Índios/ Telefone: 99997-5788/ Aceita-se cartões

«

»

Comentários desse post

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Siga-me no Instagram

  • Já comeu as coxinhas de galinha do Conversa Botequim? Pois bem, as beldades são viciantes. A gente começa a comer e não querer mais parar. Na receita, o salgado leva batata inglesa, farinha de trigo e leite, depois são empanadas na massa de tempurá e farinha panko (pão japonês). O recheio é generoso.
Para acompanhar o petisco, cerveja bem gelada ou drinks do Itynerantys
http://www.nidelins.com.br/2019/04/24/coxinha-do-conversa/
@conversabotequim @itynerantys @luizsiqueira87
  • Na pracinha, por sinal, bem lindinha, da cidade de Capela, uma placa do governo do Estado indica o Caldinho de Capela, patrimônio alagoano sob a batuta do Newton Melo Bastos, uma lenda viva do Município que também abriga o atelier do ceramista João de Alagoas e seus seguidores.
Saiba mais no meu blog: http://www.nidelins.com.br/2019/04/23/seu-newton-autoridade-do-caldinho/
#dicadanide #alagoas #comidadibuteco #alagoas #capela
  • O churrasquinho de cordeiro escoltado por arroz com alho, feijão preto, farofa com bacon e salada, é uma das delícias do
Santo Almoço Executivo, no  Santo Antônio Bar, com preços de R$ 18,90 até R$ 36,00 (prato pra uma pessoa). De terça-feira à sexta-feira, o cardápio leva assinatura do @serginhorjuca. Veja mais no blog: http://www.nidelins.com.br/2019/04/22/almoco-com-antonio/
#dicadanide #maceio #restaurante #jatiuca #almoçoexecutivo
  • Espírito Santo do atelier João das Alagoas na cidade de Capela. Destino de arte e do famoso Caldinho do seu  Newton, o melhor da região.
  • Sexta-feira da Paixão, maré baixa, mar sereno, lua cheia, gente, muita gente assentada na areia, ou nas cadeiras que trouxeram de casa. Tudo para confortar o corpo, porque o coração já estava domado pelo projeto Velas Telas na Praia da Ponta Verde, bem de frente ao farol que nos guia.  As velas enfileiradas viraram telas de cinema ao céu aberto como o escurinho do cinema, onde foram projetas obras dos artistas plásticos alagoanos. As velas não partiram para o mar, mas projetaram a beleza dos nossos artistas plásticos e nós, até domingo, dia 21, podemos mergulhar no universo da arte no projeto Arte em Movimento – VelasTelas, do Núcleo Zero e Mirna Porto com patrocínio do Magazine Luiza por meio da Lei Rouanet. http://www.nidelins.com.br/2019/04/20/velas-da-lua-cheia/ foto: tela de Lula Nogueira @curiboca 
#velastelas #maceio #alagoas #cultura
@velas.telas @nucleozero_ @mirnaportomaia
  • Minha Maceió é mar, lua, Arte em Movimento - VelasTelas, projeto do @nucleozero_ @mirnaportomaia na orla da Ponta Verde (na altura do Farol), até  21 de abril, a partir das 20h.  Patrocínio @magazineluiz
#dicadanide
#maceio
#arte #pontaverde @rosapiattiarte @mirnaportomaia @nucleozero_
  • Fique ligado: Vem aí o Janga Week, de segunda a sexta, no Janga Praia no horário do almoço com prato para duas pessoas no valor de R$ 69,00. São seis pratos para o comensal escolher, como a Tilápia Primavera com salada e acompanhada com arroz integral, mas tem camarão, frango e carnes. Saiba mais sobre o @restaurantejanga no meu blog: http://www.nidelins.com.br/2019/04/19/camaroes-crocantes-do-janga/
  • A moqueca de camarão, quando sobra de um dia para outro no doce lar da família da Chef Vera Moreira, tem destino certo: o café da manhã. Basta adicionar ovos na moqueca para acompanhar o cuscuz de milho. Essa tradição do café da manhã  foi parar no cardápio do restaurante Akuaba. Mas, no lugar do cuscuz, entrou em cena o arroz, a farofa e o pirão. É bom demais. Saiba mais sobre os 25 anos do @akuababr no meu blog http://www.nidelins.com.br/2019/04/18/temperando-maceio-com-dende/
@verasmoreira @jonatasmoreira @ainamoreira @osvaldo_moreira 
#dicadanide #maceio #cozinhabaiana #moqueca #acaraje